2012-09-17

'O que as empresas mais olham no currículo?' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 17/09/2012, sobre o que as empresas mais olham no currículo.

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'O que as empresas mais olham no currículo?'

olho currículo

"O que as empresas mais olham em um currículo?", pergunta uma ouvinte que está preparando o currículo e não sabe se ele precisa ser esticado ou encurtado.

Vamos lá. Um currículo padrão se divide em quatro blocos:

Primeiro: os dados do candidato e a área de interesse.
Segundo: a formação escolar.
Terceiro: os empregos anteriores.
E quarto: informações adicionais como hobbies e cursos rápidos de aperfeiçoamento.

Mas quem analisa o currículo não respeita essa sequência. Vai direto para o terceiro bloco. O histórico profissional é de longe a parte mais importante, porque mostra o que o candidato já conseguiu na carreira e pode oferecer a uma nova empresa. Em muitos casos, uma pessoa com formação escolar básica, sem nenhum curso cintilante, pode ter construído um histórico profissional sólido e interessante, ao passo que alguém com muitos cursos pode ter tido vários empregos em pouco tempo, ou passado por funções muito diferentes entre si, sem ainda ter definido ou encontrado uma direção.

Então é no bloco do trabalho que a nossa ouvinte deve caprichar mais, colocando as funções que ocupou na ordem cronológica inversa, da última para a primeira, descrevendo as atribuições de cada função e adicionando os resultados práticos que ela conseguiu. Se esse bloco chamar a atenção da pessoa que estiver analisando o currículo, ela irá em seguida para o bloco da formação acadêmica.

Muita gente inicia o currículo com uma lista das próprias habilidades, mencionando aptidões ou qualidades como espírito de liderança, criatividade e relacionamento pessoal. Nenhum selecionador leva esse bloco a sério. Não que tudo isso possa não ser verdade, mas são detalhes que não podem ser comprovados através de uma simples leitura. Essas habilidades serão devidamente avaliadas depois, em uma entrevista pessoal, e não pelo currículo.

Max Gehringer, para CBN.

No comments:

Blog Widget by LinkWithin