2012-09-10

'Entrevistadora me perguntou se eu pretendia engravidar' - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 10/09/2012, sobre perguntas indiscretas em entrevistas de emprego.

Áudio original disponível no site da CBN (link aqui). E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/===================================================================================

'Entrevistadora me perguntou se eu pretendia engravidar'

entrevista de emprego intrometida

Uma ouvinte escreve: "Participei de uma entrevista de emprego e a entrevistadora me perguntou se eu pretendia engravidar. Considerei a pergunta uma intromissão em minha vida pessoal e coloquei isso de maneira bem educada à entrevistadora, que não gostou nem um pouco da minha reação. Perguntas desse tipo são admissíveis em entrevistas?"

Não, não são. Não são permitidas perguntas que impliquem em algum tipo de discriminação e nem perguntas que possam causar constrangimento ao candidato. A referência a gravidez se enquadra nos dois casos.

Porém, o objetivo de uma entrevista é descobrir se um candidato está apto a desempenhar uma função e se vai se encaixar no ambiente de trabalho. A primeira parte é mais fácil, porque as perguntas são técnicas. A segunda é um pouco mais complicada, porque o entrevistador precisa avaliar a personalidade dos candidatos e descobrir qual seria o comportamento deles em determinadas situações profissionais, principalmente no tocante ao relacionamento com os colegas.

É aí que entra o bom entrevistador. Ele deixa o candidato a vontade e sabe como fazer uma pergunta não soar ofensiva ou enxerida. Todos os entrevistadores são assim? Não. Eu me arriscaria a dizer que só uma minoria é assim. Simplesmente porque um entrevistador pode ser qualquer pessoa na hierarquia da empresa. Muitos não possuem técnica de entrevista. E alguns até ignoram que legalmente não podem vasculhar a vida pessoal de um candidato.

A nossa ouvinte se viu diante de uma entrevistadora desse gênero, e agiu corretamente ao se recusar a responder. Isso pode até tê-la eliminado do processo, o que foi até bom. Porque ela não iria mesmo querer trabalhar em uma empresa cujo desrespeito começa já na entrevista.

Max Gehringer, para CBN.

No comments:

Blog Widget by LinkWithin