2008-01-31

Clássicos do Mundo Corporativo: A história do profissional que conseguiu a vaga de assistente demonstrando que sabia como ser chefe - by Max Gehringer

E aqui estamos nós, com mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para a CBN, disponível via podcast, do dia 14/01/2008. Não tão fresca, porque eu havia me esquecido do arquivo ali, perdido num canto do HD. Mas com certeza, essa vale a pena ler, é muito engraçada.

Clássicos do Mundo Corporativo: A história do profissional que conseguiu a vaga de assistente demonstrando que sabia como ser chefe

Esta é uma história incrível, porém verdadeira. Ela me foi contada por um selecionador de pessoal, de uma empresa química. Foi assim:

A empresa tinha duas vagas em aberto: uma para chefe, e outra para assistente. E apareceram dezenas de candidatos, tanto para uma, como para outra vaga. E aí, entra candidato, sai candidato... e nenhum era bom. Os que queriam ser chefes não tinham liderança, e os que queriam ser assistentes, eram muito limitados.

O selecionador já estava ficando preocupado, quando chegou um candidato a chefe. E o selecionador fez aquelas perguntas de sempre, por exemplo, por que você acha que conseguiria ser um chefe eficiente?

E o candidato respondeu: Veja bem, eu tenho todas as características que um chefe precisa ter. Eu gosto de mandar nas pessoas. Eu gosto de ficar sem fazer nada, enquanto os outros trabalham. Eu gosto de ficar escrevendo relatórios, em vez de tomar decisões. E acima de tudo, eu adoro reuniões. Sou capaz de passar horas numa sala de reunião, só falando e escutando abobrinhas, sem nunca perder o pique. Tudo o que eu preciso é de um assistente que faça o trabalho por mim.

(Não parece?)

O selecionador, é claro, ficou pasmo. E disse para o candidato que, falando daquele jeito, ele não seria contratado como chefe em nenhuma empresa do mundo.

E o candidato respondeu: É verdade. Mas o senhor deve concordar comigo que eu entendo muito bem, o que é ser chefe. Por isso mesmo, qualquer chefe gostaria de ter um assistente como eu. E o candidato conseguiu a vaga que realmente estava querendo: a de assistente.

Max Gehringer, para CBN.

/***************************************************

Se você ainda não sabe, para outros textos do Max, utilize a procura pela tag.

Pérolas, ostras e os tímidos - mais um texto do Max

E aqui estamos nós, com mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para a CBN, disponível via podcast, do dia 30/01/2008.

Clássicos do Mundo Corporativo: De cada dez pessoas, pelo menos duas padecem de timidez

A pérola é uma das pequenas maravilhas da natureza, tão bonita e tão rara, que a gente acaba usando a palavra como sinônimo de uma frase muito inteligente, "uma pérola de sabedoria".

Muito antigamente, acreditava-se que uma pérola era formada quando uma gota de orvalho descia do céu, através de um raio de luar, e caía no mar, onde era engolida por uma ostra. Isso, sem dúvida, é muito romântico, mas infelizmente não é verdade.


A pérola, na realidade, é um mecanismo de defesa da ostra. A parte interior da ostra, chamada de cólo, é constituída por um material muito delicado e muito sensível. E é para se proteger do mundo exterior, que a ostra vive fechada daquele jeito. Mas, apesar de todo esse cuidado, de vez em quando algum material estranho e irritante, tipo um grão de areia, acha um jeito de entrar na ostra, e de se instalar em seu cólo. E aí, a ostra reage, secretando um fluido para neutralizar o indesejado invasor. E então, dia após dia, ano após ano, camada após camada, o fluido acaba se transformando em uma pérola.

Nas empresas, eu conheci muita gente que passava o dia inteiro sem dizer uma só palavra. Eram pessoas que vivam fechadas em seus próprios mundos, e pareciam não ter a mínima vontade de se mostrarem sociáveis. E gente assim sempre acaba ficando com uma imagem de antipático. Com o tempo, essas pessoas passam a ser evitadas pelos colegas, porque os colegas pensam que é exatamente isso que a pessoa está querendo: distância.

Só que, muitas vezes, essas pessoas têm grandes contribuições para dar. E só não dão, porque são tímidas. De cada 10 pessoas, pelo menos duas padecem de timidez. Não porque elas querem ser assim, mas porque elas são assim.

Por isso, quando a gente convive no trabalho, com uma pessoa tímida e fechada, como uma ostra, vale a pena tentar achar uma brecha e se aproximar. Afinal, se as ostras não existissem, não existiriam as pérolas.

Max Gehringer, para CBN.

/**************************************************

Admito que estou meio cansado de ficar fazendo essas transcrições, e só devo fazê-las se houver um texto muito bom, como esse. Eu, como super-hiper-mega tímido, até me emocionei quando ele fala que "vale a pena tentar achar uma brecha e se aproximar" =D.

/**************************************************

No podcast de hoje, No mundo corporativo moderno, o chefe sempre acaba ficando com toda a glória (que eu não vou transcrever), o Max fala sobre o feito da Apollo 11, que levou os homens a lua, e mostra que Neil Armstrong, que ganhou reconhecimento mundial ao ser o primeiro homem a pisar na lua, só o fez, porque: era chefe; e era o menos importante para a missão, caso desse alguma zica.

É sempre assim, quem ganha fama geralmente não é quem faz.

Para outros textos do Max, utilize a procura pela tag.

2008-01-30

2 Diferenças básicas entre Brasil e Japão

Lendo a folha online, vejo essa notícia (link para folha):

Japonês liga 2.600 vezes para companhia telefônica e é preso
da Efe, em Tóquio

A polícia deteve nesta quarta-feira um homem acusado de obstruir o serviço de informação telefônica de uma companhia japonesa de telecomunicações após fazer cerca de 2.600 ligações para "se esquecer de sua solidão", informou hoje a agência local Kyodo.

Takahiro Fujinuma, um desempregado de 37 anos, bloqueou entre junho e novembro de 2007 o número do serviço de informações da Nippon Telegraph and Telephone (NTT).

Segundo os investigadores, com suas ligações ele interferia nos trabalhos dos funcionários do diretório telefônico da NTT.

Fujinuma se limitava a falar sem pedir nenhum número de telefone, e os operadores costumavam tratá-lo de maneira educada e pediam que ele "continuasse à espera na linha", indicou a polícia.

"Sou solteiro, fiz isso para me esquecer da minha solidão", disse Fujinuma à polícia.

Segundo os investigadores, o detido, que vive em Tóquio, tinha o hábito de ligar para o serviço por ele ser gratuito.

Fujinuma se limitava a pedir que conversassem com ele e que não o colocassem na espera.

O serviço de informação da NTT cobra apenas para informar números telefônicos, e não por conversar com seus clientes.

/****************************************************

Eu noto duas coisas lendo essa notícia.

A primeira é que o povo japonês parece estar ficando cada vez mais solitário, cada vez mais isolados, mesmo vivendo espremidos numa pequena ilha. Por mais que por aqui tenhamos CVVs, nunca vi algum indivíduo chegar ao ponto de precisar ser preso por ficar alugando o povo do call center.

A segunda é a postura da NTT, citando a notícia, "cobra apenas para informar números telefônicos". Se fosse aqui no Brasil, especialmente se fosse com a droga da Brasil Telecom, só de ligar já estariam te cobrando. Aliás, se pudessem, só em PENSAR EM LIGAR, já te cobrariam.

Como óculos afetam sua imagem

Olhem que legal, uma campanha de óculos, que eu vi no blog do Alessandro Martins. O mote da campanha é "Tenha o respeito que você merece".

(Legendas: no primeiro "Motorista de caminhão" e "Professor Doutor"; no segundo: "Açougueiro" e "Artista")

No post dele (Leitor, veja como os óculos afetam a sua imagem) tem mais.

E aqui vai a minha pequena contribuição para a campanha:

(Se eu emagrecer e cortar o cabelo tigelinha, fico igualzinho =P)

Como eu não tenho talento pra desenhar, o personagem acima foi feito usando as ferramentas do Toonlet, um serviço legalzinho pra se montar tirinhas, que eu já comentei num post anterior.

2008-01-29

Clássicos do Mundo Corporativo: O que os Serjões querem é serem ouvidos - by Max Gehringer

E aqui estamos nós, com mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para a CBN, disponível via podcast, do dia 29/01/2008.

Enquanto a inspiração pra escrever alguma coisa decente não vem, vou colocando aqui essas transcrições.

Clássicos do Mundo Corporativo: Toda empresa tem um profissional com enorme experiência, que gosta de dar palpite em tudo e tende a discordar dos colegas

Uma figura que existe em qualquer empresa é o Serjão. E toda empresa que tem um Serjão deveria fazer uma campanha para preservá-lo, porque os Serjões são uma espécie em extinção.

O Serjão é aquele profissional que acumulou uma enorme experiência, e por isso, gosta de dar palpite em tudo. E normalmente, tende a discordar de tudo o que os colegas falam. Por essa razão, o Serjão vive sendo criticado por todo mundo, por ser muito ácido e muito crica.

Acontece que, exatamente por sua longa vivência, o Serjão quase sempre tem razão no que diz. O problema não é o que ele fala, é a forma como ele fala. Aquela maneira de quem está anunciando o apocalipse, aquele jeito de quem tem certeza absoluta de tudo. E é por prestar mais atenção na maneira como o Serjão fala, do que naquilo que ele está falando, que muita empresa acaba deixando de fazer o que deveria ser feito, ou acaba cometendo erros que poderiam ser evitados.

Eu convivi muitos anos com um legítimo Serjão, e demorei um pouco até aprender a ouvi-lo. Mas confesso que só consegui entender como funciona a cabeça de um Serjão, no dia em que finalmente eu resolvi elogiar o Serjão em público, numa convenção na nossa empresa. Foi naquele dia que eu finalmente entendi que os Serjões não querem ser elogiados. Eles só querem ser ouvidos.

De qualquer maneira, estávamos todos ali reunidos, gerentes, diretores, supervisores, e eu comecei o meu discurso: "Pessoal, eu acho que muitos de vocês criticam o Serjão, porque ele fala alto, porque ele acha que só ele tem razão, ou porque ele dá a impressão de ser o único que está preocupado com o futuro da empresa. Mas jeito é jeito, e fato é fato. E um fato que eu posso comprovar, é que de 100 coisas que o Serjão me falou até hoje, 99% estavam certas."

A sala ficou no mais absoluto silêncio, e quando eu ia continuar, lá do fundo, o Serjão perguntou: "Ah, é? E qual é a que estava errada?"

Max Gehringer, para CBN.

/***********************************************

Para outros textos do Max, utilize a procura pela tag.

Clássicos do Mundo Corporativo: Regra do 5% - by Max Gehringer

E aqui estamos nós, com mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para a CBN, disponível via podcast, do dia 28/01/2008.

Tenho que admitir que só estou fazendo estas transcrições porque ultimamente tenho passado o dia inteiro no trabalho fazendo absolutamente nada... Sabe, existe um limite para o tanto de "nada" que uma pessoa pode "fazer" em oito horas de trabalho =P

Clássicos do Mundo Corporativo: Regra do 5%

Eu hoje me lembrei de uma dessas estatísticas baseadas mais no bom senso do que na técnica: a regrinha dos 5%.

Segundo essa regra, de tudo o que nós escutamos, vemos, falamos, lemos ou escrevemos todos os dias, só 5% realmente interessam. O resto é descartável. Da mesma forma, de cada 100 estagiários contratados por empresas, só 5 chegarão a cargos de chefia. De cada 100 pequenos negócios que são abertos, só 5 se transformarão no sucesso que o dono sonhava. De cada 100 bons alunos, só 5 repetirão na vida profissional o excelente desempenho que tiveram na escola.

A mesma regra vale para o trabalho. Se nós passamos 40 horas por semana em uma empresa, só durante 5% desse tempo, ou 2 horas, estaremos fazendo alguma coisa, pela qual poderemos ser lembrados daqui a algum tempo. As outras 38 horas serão gastas em trabalho de rotina, em reuniões, em conversas ao telefone ou em bate-papos sem importância.

Um teste que eu fazia comigo mesmo era me perguntar como eu tinha gasto as minhas 2 horas de criatividade na semana anterior. E no mais das vezes, eu descobria que tinha sido simplesmente engolido pela rotina.

Essa lição, dos 5%, eu devo ao meu saudoso professor Vantuil. Certa vez, durante uma daquelas algazarras incontroláveis em classe, o professor Vantuil, calmamente, disse que os 95% de alunos que quisessem persistir na bagunça, poderiam continuar a vontade, porque ele estava interessado em dar aula apenas para os 5%, que iriam ser alguma coisa na vida. E a classe, imediatamente, ficou em silêncio. Porque todo mundo, sempre se considera parte dos 5% que vão dar certo.

Não sei se a lição do professor Vantuil funcionou no meu caso, mas certamente funcionou no caso do professor Vantuil. Porque eu devo ter tido uns 100 professores na vida, e ele é um dos 5 que eu ainda me lembro.

Max Gehringer, para CBN.

/***********************************************

Para outros textos do Max, utilize a procura pela tag.

2008-01-28

Dilbert na sua página

Vi no blog Governança e Tecnologia, mais exatamente no post Dilbert. Eu tenho, você não tem... mas pode ter, um pequeno gadget pra colocar em páginas web, que mostra nada mais nada menos que tiras do Dilbert (em inglês).

Especialmente pra quem trabalha com tecnologia, mas também pra qualquer um que vive no mundo corporativo, Dilbert é leitura obrigatória. Engraçado, muitas vezes com humor ácido e/ou negro, as tiras do Scott Adams retratam de forma magistral esse mundo.

O gadget (ou widget, sei lá que nome dão pra essas coisas) pode ser encontrado no link: The official Dilbert Widget. Eu já coloquei aqui, está na barra lateral, lá embaixo.

A tirinha abaixo vai só pra ilustrar o humor do Dilbert:


Em português:
- O novo software é um desastre.
- Então, por que você recomendou ele?

- Este software é idéia SUA. Eu recomendei CONTRA.

- Então, de quem é a culpa?
- Da pessoa com recomendações não persuasivas?

Clássicos do Mundo Corporativo: Verbetes do dicionário das empresas - by Max Gehringer

E aqui estamos nós, com mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para a CBN, disponível via podcast, do dia 25/01/2008.

Clássicos do Mundo Corporativo: Verbetes do dicionário das empresas

Para quem anda meio confuso com certas palavras e expressões comumente utilizadas em empresas, aqui vão algumas definições:

Benchmark é quando nós copiamos o que os outros fazem. Quando os outros copiam o que nós fazemos, aí, é plágio.

Projeto de vital importância é aquele que tem 3 etapas: um planejamento minucioso, uma execução adequada e uma ótima desculpa.

Estratégia mercadológica é a capacidade que uma empresa tem de repetir as mesmas falhas, ano após ano, mas sempre a partir de dados novos e mais confiáveis.

Avaliação de cargos é a constatação de que um mecânico, que consegue resolver um problema com uma martelada, ganha muito menos do que um burocrata, que consegue esticar o mesmo problema escrevendo um relatório.

Coerência nas decisões significa que a empresa adota um processo lógico para cometer erros.

Funcionário insubstituível é aquele que tem uma função na empresa que nenhum outro funcionário está interessado em assumir.

Momento de indefinição na carreira é aquele período em que uma pessoa se considera, ao mesmo tempo, muito velha para tentar e muito jovem para desistir.

Finalmente, diversidade. Diversidade é saber reconhecer que as pessoas são diferentes. Numa reunião, por exemplo, sempre existem dois tipos de pessoas: as que ficam fazendo estrelinhas no papel, e as que ficam fazendo papel de estrelinhas.

Max Gehringer, para CBN.

/***********************************************

Agora, esse último parágrafo, sobre as estrelinhas e os papéis, foi genial. Conciso, bem humorado, e sobretudo, verdadeiro.

Falando em termos usados no mundo corporativo, isso lembrou o outro comentário, sobre o uso de termos em inglês, o qual já transcrevi aqui: Clássicos do Mundo Corporativo: Termos em inglês impressionam, mas não se deve exagerar - by Max Gehringer

2008-01-27

Never Hide, da Ray-ban: não se esconda atrás dos óculos

Há algum tempo, toda vez que eu vou ao cinema aqui, passa a propaganda da Ray-ban, com a campanha Never Hide. A propaganda é a do vídeo abaixo:



O vídeo até que é legal, as pessoas são lindas (claro, todos(as) modelos, dãããã), o som é bem feito, mas será que só eu achei o conceito dessa campanha meio furado? Hipócrita até, sendo mais ousado...

Olhem o que diz no site oficial da campanha (grifos meus):

"Em todas as suas formas, a campanha Ray-ban retrata homens e mulheres jovens vivendo o seu dia-a-dia com autenticidade, a coragem de se exprimirem, assim como a expressão da individualidade, o nosso bem mais precioso, pois não existe nada de mais fashion do que sermos nós próprios."

Tudo muito bonito, mas convenhamos, a última coisa que alguém com um óculos escuro Ray-ban faz é se exprimir. Quem usa óculos escuro, acaba na verdade se escondendo, escondendo o olhar, a direção dos olhos...

Muito mais autêntico (e bem humorado) foi a campanha do guaraná Antarctica, as pequenas grandes atitudes que mudaram o mundo. Numa das propagandas, a Carol, "uma menina a frente do seu tempo, que gostava de admirar a beleza do sexo oposto", usa óculos escuros pra poder "secar" na praia, em paz. Vejam a propaganda abaixo:



Quer realmente seguir o "never hide"? Então tire os óculos Ray-ban um pouquinho, e não se esconda atrás deles, nem de marca nenhuma.

2008-01-25

Videos de Asian Kung-Fu Generation em animes - Bleach, Naruto e Fullmetal Alchemist

Não, não é nome de filme tosco de kung-fu (mas bem que poderia ser...).

Asian Kung-Fu Generation é uma banda japonesa de rock, que têm uma aparência nerd de dar inveja a qualquer Bill Gates. Apesar disso, o J-Rock (como é chamado o rock japonês) deles é legal. Ainda mais que 3 músicas deles foram parar em aberturas de animes =P.

Citando o artigo brasileiro na wikipedia: Os gostos pessoais do quarteto são basicamente rock e rock alternativo, o que ajuda a justificar o estilo musical e visual do Ajikan (Asian Kung-Fu Generation reduzido, em japonês). As três características mais marcantes do grupo são definitivamente: a aparência quase nerd, à la Weezer; um vocal que surpreende por ser agradavelmente desafinado; e um poderoso contrabaixo que, de tão característico, se tornou a marca da banda.

Mas chega de lenga lenga, e vamos ao que interessa, os vídeos:

Clipe de Rewrite, com legendas em inglês (não achei em português):



E a 4a abertura de Fullmetal Alchemist (um dos animes/mangás mais fodásticos que eu já vi), com essa música:



Clipe de Haruka Kanata, com legendas em inglês (não achei em português):



E a 2a abertura de Naruto, com essa música:



Clipe de After Dark, com legendas em inglês (não achei em português). Esse clipe é o mais legal, na minha opinião:



E a 7a abertura de Bleach, com essa música:



E pra quem quiser conhecer mais músicas/videoclipes japoneses, alguns grupos traduzem e legendam clipes em português. Os que eu conheço são o CSCTeam, e o Barazoku (este inclusive tem o clipe de After Dark em português).

Jah.

Crescimento e turismo desordenados ameaçam encantos de Floripa

Pra não dizerem que só eu encano com essa cidade (por causa do meu post: 6 motivos pra NÃO vir pra Florianópolis no verão) um trechinho de uma matéria do Uol Notícias:

"Quem esteve na Ilha da Magia no feriado do Ano Novo, porém, se viu obrigado a conviver com engarrafamentos intermináveis, falta de água em alguns bairros e de luz em outros tantos, e de perceber, também, mudanças intensas na cidade. Os problemas ainda estão longe de fazer frente ao que Floripa oferece de melhor, mas o discurso de que as dificuldades estão relacionadas somente ao período de maior visitação já não se sustenta.

Entre 1980 e 2007, a população de Florianópolis mais que dobrou. O município, composto pela Ilha de Santa Catarina (conhecida carinhosamente por Ilha da Magia) e por uma parte no continente, viu seu número de habitantes saltar de 187.880 para cerca de 400 mil, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Para se ter uma idéia, no mesmo período, a população do Brasil variou aproximadamente 58%.

Para quem sonha em se mudar para Florianópolis como uma forma de viver "em um pedacinho do Brasil" livre dos conflitos sociais, econômicos e ambientais - e dos escândalos que têm marcado a cena política nacional desde sempre -, um aviso a respeito do paraíso. Nos últimos anos, Florianópolis tem sido palco de conflitos intensos, que vão dos protestos por melhorias no transporte público e pelo passe livre à Operação Moeda Verde, da Polícia Federal (PF). "


Leiam a matéria completa no Uol: Crescimento e turismo desordenados ameaçam encantos de Floripa.

Acrósticos - Adriana

Adriana

Amo quando mostras esse teu sorriso puro,
Diligente, maroto, inocente, mas maduro.
Rogo para que não mudes o jeito do olhar,
Inquisitivo, inteligente, impossível não amar.
Alimento minha alma com apenas a esperança,
Naquilo que desejei desde sempre, desde criança,
Andar e estar ao teu lado, sem nenhuma distância.

Acrósticos - Adriane

Adriane

Atravessei mundos, tempos e almas por este momento.
Dormi, sonhei, te amei, e enfim acordei sonolento.
Ri da tua piada boba, sorri porque sorriste também.
Infeliz sem ti, mas contigo, tudo fica tão bem.
Alinho meus olhos com os teus, olhos amendoados.
Neste instante, tudo silencia, como se orquestrado,
Em um mundo onde só nós dois, num universo privado.

Acrósticos - Sandra

Sandra

Suspiros são ouvidos no teu caminhar,
Apaixonados pela beleza do teu olhar.
Nem em sonho vi tanta beleza assim,
Doce sorriso em lábios de sorriso sem fim.
Rara beleza no mar dos teus cabelos,
Atento navego nos macios fios como novelos.

/***************************************

Link para outro acróstico de Sandra.

Acrósticos - Juliana

Juliana

Juntou-se em ti, toda a beleza do mundo,
Um sorriso teu penetra na alma, bem profundo.
Loucas curvas do teu corpo eu me perco,
Irresistível olhar que domina meu cerco.
A tua boca é meu porto seguro onde quero descansar,
Nos teus braços quero subir às nuvens e voar,
A tua beleza é pedra preciosa em meio a um mar.

/***************************************

Outro acróstico de Juliana aqui.

2008-01-24

Tirinhas Sem Sorte - e os serviços Toonlet, Stripgenerator

Enquanto a minha desenhista oficial não produz mais tirinhas, tomei por conhecimento do Gattune um serviço que permite montar umas tirinhas de maneira bem fácil, o Toonlet

Todo baseado em cliques, arrastar e soltar, tanto pra montar os personagens quanto montar a tira, a interface toda é bem intuitiva e não exige muito trabalho. Claro que se você quiser um personagem mais elaborado, vai demorar mais pra montá-lo, mas se fizer como eu, todo meia boca, sai rapidinho.

O serviço ainda está em beta, o que deve explicar várias deficiências, como por exemplo, não ter como colocar background (só permite alterar a cor), nem poder colocar dois personagens num mesmo quadro. Mas achei muito interessante, e ai embaixo vai a minha primeira experiência usando o serviço:



O link do post no Gattune comentando o Toonlet.

Um serviço parecido é o Stripgenerator. Também para gerar tirinhas, este serviço tem bem mais opções de objetos e mais liberdade para "desenhar" o quadro (por desenhar entenda-se arrastar os objetos, movendo-os e redimensionando-os).

Entre o Toonlet e o Stripgenerator, eu prefiro o segundo, devido a maior liberdade de "design" de cada quadro.

O Stripgenerator eu tomei conhecimento pelas tirinhas da Cafeína.

Comparem Screenshots dos serviços:

(Interface de criação de uma tirinha no Toonlet)

(Interface de criação de uma tirinha no Stripgenerator - bem mais opções e mais completa.)

(Em compensação, o Toonlet te deixa criar o personagem livremente.)

Bem, esperamos que nossa desenhista oficial não atrase, aí semana que vem já devem ter novas tirinhas, totalmente feitas a mão =D

6 motivos pra NÃO vir pra Florianópolis no verão

Estou cansado do pessoal ficar falando que Florianópolis é o paraíso na Terra, e outras bobagens que ficam repetindo porque o pessoal de marketing aqui de Florianópolis é eficiente. Então, resolvi compilar uma lista de 6 motivos para você NÃO vir pra Florianópolis neste, ou em futuros verões.

1 - O trânsito é caótico

OK, o trânsito não é tão caótico quanto o de São Paulo em dia de chuva, mas na temporada de verão, o trânsito aqui também exige altas doses de paciência.

Bem, pra começo de conversa, se você vier de carro pra Florianópolis, se prepare. Sua viagem pode acabar mais cedo do que você imagina. Apesar de algumas estradas aqui serem até muito boas se comparadas às do resto do país (por exemplo, de Curitiba pra Florianópolis a viagem geralmente é bem tranquila, mesmo com o movimento que tem na BR 101), Santa Catarina registra um dos maiores números de mortos nas estradas. Neste fim de ano, só perdeu pra Minas Gerais. Se considerarmos que MG tem mais KMs de estrada, já viu...

(Fugiu de São Paulo pensando que se livrou disso? Erro! Créditos da foto: http://www.rogeriosilveira.jor.br)

Mas tudo bem, você conseguiu chegar inteiro a Florianópolis, seja de carro ou de avião (pessoas mais abastadas). Você se instala em seu hotel/pousada/casa de parente/whatever, e tem a brilhante idéia de dar um pulinho nas tão famosas praias da ilha. Se você já não passou um sufoco em chegar no hotel/pousada/casa de um infeliz/whatever, prepare-se pra passar agora. Porque se você não estiver instalado muito perto da praia, e tiver enfrentar o trânsito para chegar lá, a batalha vai ser árdua. Muito provavelmente centenas de outras pessoas tiveram a mesma idéia brilhante que a sua, e se dirigem para a mesma praia que você escolheu.



Percursos que em um dia tranquilo não demorariam 20, 30 minutos, levam se você estiver com MUITA sorte, 1 hora. Se você não for o Gastão, umas 2 horas devem ser o mínimo que você vai passar dentro do carro, embaixo de um sol escaldante.

2 - Falta de opções

Você deve estar se perguntando: "Ah, mas com tantas praias/trilhas/belezas naturais/whatever, como vai ter falta de opções?" Não falo de falta de opções praias/trilhas/você sabe o resto, mas de opções culturais.

Imagine você, um pobre azarado em que na sua única semana de férias em Florianópolis, chove todo dia. Sem aberturas de sol.

Se você realmente for muito louco, e como todo turista deixou parte do cérebro em casa (essa é uma teoria minha), pode até ir na praia, entrar no mar, passar frio, etc... Mas você provavelmente deve optar por algo mais indoor.

Aí abre o jornal, ou um site de Florianópolis, e descobre que não tem muita opção, fora um passeio básico shopping/cinema. Se você estiver fazendo um tour pelo Brasil/mundo vendo shoppings, tudo bem. Caso contrário, vai ser mais uma ida normal ao shopping, só pra passar um tempo... Mas, "peraí"... Toda a Florianópolis teve a mesma idéia, e o shopping vai estar lotado. Lotado que nem véspera de Natal. Se você for mulher, não vai ligar (mulheres não ligam de perambular no shopping lotado na véspera de Natal, de qualquer maneira). Mas se você for homem (e pior, se estiver acompanhado da patroa que VAI querer perambular um monte), invente uma desculpa e fique vendo a sessão da tarde na tv.

(É assim que fica... Em dias de movimento médio.)

E agradeça aos céus, porque agora Florianópolis tem 3 opções de shoppings. Há um ano e meio atrás, só havia um. Já dá pra imaginar como era?

3 - TUDO é MUITO caro

OK, você resolveu conhecer a cidade, fazer umas comprinhas ou mesmo só fazer uma boquinha. Prepare (e bem) os bolsos. Tudo aqui é muito caro. Na temporada, e ainda mais se for em algum lugar perto das praias, o preço inflaciona mesmo.

Mesmo fora de temporada, o custo de vida de Florianópolis é alto, comparável a outras grandes capitais do Brasil.

Existem alternativas digamos mais "light" para o bolso? Sim, existem. Mas é preciso procurar (e muito). E convenhamos, você, como turista de férias, a última coisa que vai pensar é fazer pesquisa de mercado.

4 - O atendimento em geral é péssimo

Uma das coisas que eu notei, logo que vim morar aqui, é o atendimento no comércio em geral. É MUITO RUIM. E isso não se restringe a temporada de verão, isso é de janeiro a dezembro.

Em muitos lugares, vendedores/garçons/atendentes/whatever simplesmente te ignoram. Se você pede a atenção deles, muitas vezes te olham DE CARA FEIA. Como se nós estivéssemos pedindo um favor a eles, como se estivéssemos implorando algo, mendigando mesmo. São ásperos, antipáticos, e estão muito mais interessados em fofocar entre si do que atender o cliente.

Isso infelizmente á algo recorrente. Acho que os comerciantes daqui ainda não se deram conta de que o cliente é o patrão deles, e não dão o mínimo de treinamento para os infelizes dos empregados.

É claro que existem exceções, especialmente em locais mais luxuosos, em que o atendimento é excelente, especializado. Geralmente são locais muito mais caros também. Mas isso não é regra: já vi em shopping centers, em lojas onde o preço de um lenço custa mais que tudo o que estou vestindo, vendedores tratarem mal clientes. E nem eram aqueles clientes "pé-rapados" ( como eu =P ), mas pessoas bem vestidas e apresentáveis.

Mesmo em alguns locais em que o atendimento é voltado quase que 100% ao turista, o atendimento muitas vezes deixa a desejar, com o agravante que o preço é geralmente é mais alto. Ainda não se deram conta de que devem explorar o turismo, e não o turista ;)

Felizmente, existem exceções. Mas como elas são muito raras e especiais, a citação fica para um futuro post =P

5 - NÃO EXISTE infra-estrutura pra todo mundo

Sim, no verão em muitas áreas falta água e luz.

Nem preciso dizer muito, basta uma procurada que isso é notícia recorrente nos jornais. O fato é que a estrutura da ilha de Florianópolis não suporta mais gente. E como a cada ano o povo de marketing se supera, mais gente vem. E com mais gente, mais estresse é gerado nos serviços de água e luz.

Especialmente em algumas regiões afastadas do centro da cidade (praias do norte, por exemplo), os serviços estão a beira da falência. Então, se mesmo assim você quiser se arriscar, prepare-se pra comprar algumas velas e muita água mineral.

Imagine você voltando da praia, seco pra tomar um banho pra tirar a água salgada e a areia do corpo. E descobre que não tem água. E se for azarado, também não tem energia elétrica, assim o telefone sem fio não funciona, nem o carregador do celular. E vai reclamar com quem? Se você uma pessoa realmente abastada, cheia do dindin mesmo, não tem com o que se preocupar, já que os grandes hotéis possuem reservatórios de água enormes, ou mesmo poços, e também geradores de energia. Então, aproveite. Bem, acho que ninguém rico o suficiente pra se hospedar num lugar desses ainda estaria lendo esse texto.

(Um dia eu ainda me hospedo num lugar desses...)

6 - Invasão de Los Hermanos

Não, não é a banda. São mesmo é turistas vizinhos do Mercosul, em especial os da Argentina.

OK, nós brazucas não vamos muito com a cara de argentinos, especialmente no futebol, mas o que isso tem de mais? Bem, não teria nada mesmo, se os turistas hermanos que aportam por aqui fossem normais, ou pelo menos mais educados.

Não estou dizendo que todos são uns @#$%, mas parece que a maioria dos @#$% vem pra cá. Especialmente os jovens e aborrescentes, quando estão sozinhos ou em grupo. Quando são famílias de turistas, o pessoal é mais comportado. Mas quando reúne "aquela galera jovem"... Só sai @#$%.

OK, aqui tem um pouco de preconceito da minha parte, afinal "aquela galera jovem" brasileira também apronta muita @#$%. Mas pro diabos, eu não sou bonzinho mesmo. E me irrita profundamente as @#$% em espanhol.

(Já imaginou um bando composto por carinhas assim? Cruzes...)

Uma razão pra você vir pra Florianópolis

Ah, pensou que eu ia falar das prais, da natureza, colocar uma foto de algum lugar paradisíaco aqui, não é? Se enganou. Tudo isso é muito bonito, etc, etc, mas a razão que eu vou dar pra você vir pra cá é a seguinte: venha pra gastar. Tem gente que depende do verão pra viver. Então, tire o $$$ do bolso e contribua. Senão tiver muita $$$, fique onde está.

Se bem que EU não dependo de turismo, então que se dane. Fique aí mesmo, e não venha inflar mais ainda a cidade que eu moro ;-P

2008-01-23

Clássicos do Mundo Corporativo: Tudo tem solução - by Max Gehringer

E aqui estamos nós, com mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para a CBN, disponível via podcast, do dia 23/01/2008.

Clássicos do Mundo Corporativo: Tudo tem solução

Tudo tem solução.



Se você está passando por uma crise existencial, ou se era para ser promovido e não foi, ou se faz quatro anos que você não tem um aumento decente, não se preocupe. TUDO tem solução. E uma solução custa apenas 20 reais. É o preço de um livro que diz que tudo tem solução. Melhor ainda, há uma enorme variedade de livros mostrando que tudo tem solução. Aqui vão alguns exemplos.

Um livro de astrologia dirá que você está vivendo uma fase de eclipse profissional, nada que um bom mapa astral não possa resolver. É só esperar que Saturno entre na casa de Sagitário, o que deve acontecer daqui a 125 anos.

Um livro de esoterismo dirá que nada está errado com você. O que está errado é o seu nome, que tem letras demais. Mude o nome, e você mudará de vida. Um colega meu, o Fernandão, fez isso. Mudou o nome para Mônica, e nunca mais foi o mesmo.

Um livro de meditação lhe dará uma receita infalível. Não faça nada, e tudo se resolverá por si só. É recomendado para quem gosta de esperar sentado.

Um livro de inteligência emocional lhe ensinará que existe uma diferença entre o QI, o Quociente Intelectual, e o QE, o Quociente Emocional. E a diferença é a seguinte: quem tem um bom QI, sabe o que é um logaritmo, e quem tem um bom QE não sabe, mas encontra uma excelente desculpa para não querer saber.

E tem, é claro, o livro de auto-ajuda. Esse é tiro e queda. E a receita é a seguinte: de manhã, ao acordar, olhe-se no espelho, fixamente. Aí, diga para você mesmo, de modo pausado, mas firme: "eu vencerei". Repita a mesma cerimônia durante 30 dias, sem interrupção. Se após 30 dias, você continuar empatando ou perdendo, troque o espelho.

Max Gehringer, para CBN.

/***************************************************

Eu ia dar um tempo nessas transcrições, mas achei legal essa, por causa de um post que eu havia feito uns dias atrás, justamente comentando sobre esse tipo de livro, mais especificamente sobre O Segredo.

Coincidência ou destino? Hein? No que VOCÊ acredita?

2008-01-21

Clássicos do Mundo Corporativo: Termos em inglês impressionam, mas não se deve exagerar - by Max Gehringer

E aqui estamos nós, com mais uma transcrição dos comentários do Max Gehringer para a CBN, disponível via podcast, do dia 21/01/2008.

Clássicos do Mundo Corporativo: Termos em inglês impressionam, mas não se deve exagerar

Como todo mundo sabe, qualquer executivo moderno não resiste à tentação, e enfiar dois ou três termos ingleses, em qualquer conversa. Necessário, pode não ser. Mas que impressiona, impressiona.

Notem, por exemplo, a diferença entre alguém nos perguntar "O que você acha?", ou nos dizer "Eu gostaria de ouvir o seu feedback". No segundo caso, a gente pensa bem mais antes de arriscar uma resposta.

É a mesma diferença que existe entre alguém falar "Eu trabalho em período integral", ou enunciar "Eu trabalho full-time". A impressão é a de que a pessoa que trabalha full-time não apenas trabalha mais, como ainda é mais competente.

E quando a gente pede um favor profissional para alguém, se a resposta for "Vou falar com um povo aí que eu conheço", nós já ficamos com a impressão de que não vai acontecer nada. Mas, se a resposta for "Vou acessar o meu networking", também pode ser que nada aconteça, mas a esperança já é bem maior.

Imaginem então um chefe, que chama o seu subordinado e diz: "Preciso começar o meu relatório do mês, e me faltam as informações de vendas. Dá pra você cobrar?" O subordinado, com certeza, vai sair da sala sem muito entusiasmo. Mas, se o chefe disser: "Preciso dar o start-up do meu report, mas pelo meu check-list falta o database, você faria um follow-up?" Aí, o subordinado sai voando baixo, não sem antes responder: "Yess!!"

É verdade que existem termos ingleses que já fazem parte da rotina do mundo corporativo. "Marketing", por exemplo, é marketing. E uma ou outra palavrinha em inglês, usada aqui e ali, pode até impressionar, ou mesmo ajudar a esclarecer. Mas, exagerar na dose, já é querer chamar o Heródoto Barbeiro de Heródoto Hair Stylist.

Max Gehringer, para CBN.

/********************************************************

Vou extender esse comentário do Mr. Max, para além dos termos ingleses, abrangendo além de jargão específico de outras áreas, siglas e acrônimos.

Em informática o pessoal adora uma sigla, parece até que se algum produto ou conceito não tiver uma sigla, não vale a pena =P. Mesmo quem é da área, muitas vezes não consegue dar conta da sopa de letrinhas, que a cada dia cresce mais.

E muitas vezes, numa apresentação para pessoas não-técnicas, essa sopa de letras toda não faz o menor sentido. Por exemplo, a maioria das pessoas que entra nesse blog não deve fazer a mínima idéia do que quer dizer o parágrafo abaixo:

"Os nossos Web-Services podem ser usados com XML ou JSON, acessados tanto usando REST quanto SOAP, usando UDDI para descobrir o WSDL correspondente, o que torna o seu design de UI simples, ao usar frameworks como RoR, JSF, ou mesmo de um CMS em PHP. Além disso se usados junto com BPEL, é mais um passo para a implantação de um SOA, aliado a um BPM estratégico tanto para a área de TI como para outras áreas.

(Impressionou?)

E nem é só o pessoal de informática que abusa, as vezes o pessoal de direito esquece que nem todo mundo fala latim fluentemente, e vem com os Ad cautelam, Ad corpus da vida...

Como a gente geralmente está inserido no meio, os termos fluem naturalmente quando falamos, mas precisamos nos policiar quando falamos com o "povo leigo" (pra respectiva área de cada um). Senão, ao exagerarmos, podemos passar por picaretas tentando enrolar os outros. O que não é nada bom pra carreira de ninguém XD.

Maratona de anime - Claymore

Passei o domingo inteiro deitado, assistindo anime. Fiz uma maratona, assisti um anime inteiro esse fim de semana: 26 episódios.

Comecei no sábado, assistindo 19 episódios. Comecei as cinco e pouco, e terminei só lá pelas uma da manhã. Cada episódio tem mais de 20 minutos, então foram quase 7 horas de anime.

Qual anime assisti? Claymore, baseado no mangá de mesmo nome, de Norihiro Yagi.

O anime trata da vida de uma Claymore chamada Clare. Claymores são mulheres, que ainda crianças, tiveram seu corpo mudado, se tornando uma mistura de ser humano com Youmas, que no anime são uma espécie de demônio. As guerreiras cujo apelido na verdade é Claymore (Claymore na verdade é o nome da enorme espada que carregam), têm como missões, matar os Youmas.

Os Youmas, além de terem força e velocidade muito superiores as dos seres humanos, têm a capacidade de se disfarçarem, tomando a forma de humanos comuns. Somente as Claymore conseguem identificar um Youma quando ele está disfarçado como ser humano, isso porque elas podem sentir o "youki", a energia emitida pelos Youmas e por elas próprias, já que são metade Youma.

As Claymores (todas loiras, by the way) são infinitamente superiores a seres humanos comuns, em força, velocidade e habilidade de luta. Somente elas conseguem lutar contra os Youmas. Entretanto, esse poder tem um preço: como elas têm uma parte Uouma, se usarem demais os seus poderes (para isso, liberando/aumentando o youki), elas podem acabar se tornando Youmas completos.

Essa é uma descrição bem resumida, e pra não dar spoilers sobre o anime, vamos parando por aqui.

Avaliação

Claymore não é um anime pra crianças. Sangue é o que não falta, nem membros decepados voando. Se passa num universo de fantasia medieval, num clima de idade das trevas.

Do ponto de vista técnico, o anime é EXCELENTE. A animação é boa, o character design também me agradou muito, e os CGs são bem inseridos, quase não se nota que eles estão ali (e isso É uma qualidade). A trilha sonora, se não é das melhores, também não atrapalha, e as músicas de abertura/encerramento, apesar de não serem marcantes (pelo menos pra mim), também cumprem a sua função.

O ritmo com que os personagens se desenvolvem também é bom. O que não ajuda mesmo é a história em si. Apesar de ser bem construída e desenvolvida, está longe de ser original ou mesmo inovadora. A trama da personagem principal, motivada por vingança, também não prima pela originalidade.

Em suma, é um anime bom. Não vai figurar na minha galeria dos top 10, mas com certeza vale a pena. E um mini-spoiler: o final deixa aberto espaço para uma continuação, mas eu duvido que isso aconteça. Até porque segundo a wikipedia, os capítulos finais do anime desviaram muito da história no mangá.

Se quiser saber mais, tem uma review do animehaus, apesar de eu não me empolgar tanto quanto o autor da review =P.

Se quiser conhecer o anime, o fansubber brasileiro que fez a versão que eu assisti é a MDAN - Mansão dos Animes. Tem pra download via bittorrent lá no tracker deles, e por enquanto estou de seed da série inteira.

2008-01-18

Notícias do Dia2

Mais umas notícias interessantes (ou não):

Ladrão acha corpo e chama a polícia

De Berlim, um ladrão arrombou uma casa, e achou lá um corpo. Consultando sua consciência, o ladrão acabou chamando a polícia.

"Ele ligou pra dizer que havia acabado de entrar num apartamento e encontrou um corpo morto", disse uma assessora de imprensa da polícia de Berlim. "Ele deu o endereço do local e desligou."

Os policiais acabaram descobrindo o corpo do morador, de 64 anos, na cama. O homem havia morrido há cerca de duas semanas. As autoridades não estão tratando a morte como suspeita.

O ladrão não foi visto desde então. A imprensa local diz que ele deixou o apartamento de mãos vazias, mas a polícia não confirma.

Via Reuters (link em inglês).

/*************************************************

Pernas longas despertam maior atração sexual, diz estudo

Via folha online.

Cientistas acabam de dar razão ao mundo das passarelas: pernas longas despertam uma maior atração sexual, afirma um estudo publicado no último número da revista britânica "New Scientist".

A universidade polonesa de Wroclaw reuniu 218 pessoas para que avaliassem as fotografias de sete homens e de sete mulheres. Os voluntários tinham de dizer se consideravam as pessoas das fotos atraentes.

As fotos tinham sido retocadas de forma que as 14 pessoas parecessem ter a mesma altura. Mas, na verdade, tinham pernas variando entre 5%, 10%, 15% da média polonesa. Algumas cobaias humanas tinham pernas no comprimento médio do país.

Independentemente do aspecto dos modelos, os voluntários preferiram as pessoas com pernas 5% mais compridas, seguidas pelas que tinham exatamente o tamanho médio e as que tinham pernas 10% mais longas.


(Não é exatamente sobre esse Pernalonga que fala o estudo)

Reprodução

Segundo o pesquisador Boguslaw Pawlowski, estas preferências escondem uma razão genética: a de encontrar o melhor parceiro para se reproduzir.

"Pernas longas significam saúde", explicou o especialista à revista científica. Em ambos os sexos, pernas curtas são associadas a um maior risco de enfermidades cardiovasculares e diabetes do tipo 2.

Entre os homens, esta característica aumenta a possibilidade de se desenvolver níveis elevados de triglicerídeos no sangue, algo que pode levar a doenças cardíacas ou apoplexias.

Outros estudos já haviam mostrado que os homens preferem mulheres de quadris largos e cintura fina porque considerariam estas são as condições ótimas de fertilidade.

Aventuras de uma Pseudovirgem

Há alguns dias atrás terminei de ler o livro Aventuras de uma Pseudovirgem - Minhas viagens pela Ásia em busca de sexo. Só tenho a dizer que adorei o livro.


Do press-release da Conrad, a editora que lançou o livro aqui no Brasil:

Iris Bahr hoje é uma comediante bem-sucedida, com um espetáculo no circuito off-Broadway e aparições em seriados de TV como Friends e Curb Your Enthusiasm. Mas nem sempre foi assim. Aos vinte anos, Iris era uma exceção entre suas colegas de serviço militar em Israel – era a única virgem. Bem, mais ou menos: descontando-se uma experiência dolorosamente frustrada com um paramilitar marroquino, Iris considerava-se, pelo menos, uma “pseudovirgem”.

Para pôr fim a sua sina, a escritora resolve seguir o caminho da maioria dos jovens israelenses após o cumprimento do serviço militar obrigatório no país: sair viajando pelo mundo. Do mochila nas costas e pé no chão, ela parte para o “continente exótico” da Ásia, pronta para conhecer o homem que colocará um fim nesta incômoda condição.

Mas parece que, no âmbito sexual, a sorte não está ao seu lado. Iris entra numa epopéia que envolve frutas voadoras, ingleses à procura de ópio e prostitutas, aventureiros fanáticos por trilhas e uma companheira de viagem com uma predileção especial por roupas com estampas de bichinhos – e uma série de tentativas frustradas de sexo.

Entre um desarranjo intestinal e outro – com passagens pela Tailêndia, Vietnã, Índia e Nepal –, a autora vai costurando um relato vivo, vibrante e bem humorado de uma viagem inesquecível: uma jornada que, involuntariamente ou não, acaba envolvendo muito mais do que a busca por novas aventuras sexuais.


(Dork Whore, título em inglês - e a capa)

O livro é escrito em capítulos curtos, praticamente como se fossem posts em um blog. E as situações em que Iris, a protagonista/autora se envolve, são muito engraçadas. Fora as suas neuroses, descritas de forma muito bem humorada e em tom confessional, saídas da cabeça de uma pré-adulta e pós-adolescente, mesmo tendo vinte anos.

(Iris Bahr, a autora, em foto de cara lavada =P)

Algumas passagens são extremamente viscerais, no sentido emocional, em que vemos uma parte da alma dela, e que ela nos revela, sempre entremeada de muito humor. Aliás, o humor é a característica número um do livro. Muitas vezes me peguei dando risadas em voz alta, enquanto lia um ou outro capítulo. Nesse sentido, o livro, que já lembra um blog, me lembrou bastante o Bebendo um cigarro, Fumando um café, com "os causos" da Cafeína, Nicotina & cia.

(Até que a Iris é bonita, hein?)

A Conrad liberou os dois primeiros capítulos pra leitura online. São capítulos iniciais, em que a autora começa a construir a sua relação de "intimidade" com o leitor. Acredite, o que vem pela frente fica cada vez melhor.

Se quiser conhecer um pouco mais sobre a autora, seus trabalhos como atriz/comediante/etc, visite o site oficial de Iris Bahr (em inglês).

Ah, apesar do que o nome possa sugerir, não é um livro picante. Nas suas tentativas (muitas vezes trapalhadas) de conseguir "perder a virginidade" e fazer um bom sexo, Iris não entra em detalhes picantes, nem em descrições extremamente detalhadas. Não é um livro erótico, mas com erotismo.

(Essas fotos em P/B sempre realçam a beleza - queria colocar a foto da contra capa do livro, mas não achei)

P.S. A capa da edição brasileira ficou bem melhor do que a original, na minha opinião.

2008-01-17

Um domingo especial

Certas músicas mexem com a gente, e muitas vezes a gente nem sabe porquê. Mesmo que sejam em inglês e não entendamos nada, as vezes elas nos tocam de uma maneira que não entendemos, e depois, quando vemos a letra, só temos a certeza daquilo que sentimos.

Decidi postar aqui uma dessas músicas. Bem, não é em inglês, como no exemplo que usei, mas em japonês. E como você deve ter adivinhado, conheci essa música através de animes. Pra ser mais específico, essa música era o encerramento de Yakitate!! Japan (link em inglês), um ótimo animê sobre pão! (Sim, existe anime/mangá pra tudo que é coisa)

Já falei sobre uma música desse anime num post passado, sobre a banda MARIA e a música Chiisana Uta.

Dessa vez é sobre a música SUNDAY, do The Babystars (site oficial).

Aqui vai o clipe com a música inteira no youtube:



E aqui a versão de encerramento do anime Yakitate!! Japan:



Abaixo, a letra romanizada, e a versão em inglês, que eu achei no site AnimeLyrics (ótima fonte pra procurar por letras de músicas de animes):

The Babystars - SUNDAY (romanji)

Tsukai furusareta "aishiteru" mo kimi wo omotte kuchi ni sureba
Konna ni suteki na hibiki ni naru kimi dake no tame ni aru kotoba
Hidamari de sunday arikitari no itsumo to onaji kyou wa sunday
Itsu made mo nante sotto negau soshite kimi wa shaberitsuzukeru

Watashi no doko ga sonna ni suki na no? ikinari nandai wo kimi ga dasu kara
Karite kita eiga hitomazu tomete majimaji to kimi wo miru yo

Mainichi mitetemo tarinai kurai sakihokoru egao ga daisuki desu
Igai to kiyase suru gokujou bodei iu made mo naku daisuki desu

Sorette gaiken bakkari kanjin no nakami wa dou na no yo?
Funman yarukatanai kimi ga hanaiki mo araku okoru kedo
Hontou wa motto motto motto aru kedo mo
Umaku wa ienain da naa kore ga
Suki ni naru no ni ryuu wa iranai daro
Sokora hen wa nazo tte koto de kanben shite

Tsukai furusareta "aishiteru" mo kimi wo omotte kuchi ni sureba
Konna ni suteki na hibiki ni naru kimi dake no tame ni aru kotoba
Hidamari de sunday arikitari no itsumo to onaji kyou wa sunday
Nanigenai jikan ga sugite yuku soshite futari wa nagomitsuzukeru

Tsuyogari na kimi ga tokidoki miseru hakanage na namida nya shirohata desu
Nani mo iwanakerya iwanai dake ni yosomi nan de dekinain da yo

Kanashimi da no kurushimi da no
Sorya ikiterya yappari iroiro aru kedo
Nanigenaku kimi ga iu "ganbatte" ni chikara moratteru yo
Moshi mo chiisana senaka fueru toki ni wa boku ga sugu dakishimeru kara
Mado kara mieru keshiki kawatte ittemo
Neguse no hidoi kimi no mama de soba ni ite

Tsukai furusareta "daikirai" mo kimi ga fukurete kuchi ni sureba
Hantai no imi ni kikoeru no sa boku dake no tame ni aru kotoba
Hidamari de sunday arikitari no itsumo to onaji kyou wa sunday
Aratamete iu yo kimi no koto wo donna toki datte aishiteru

Itsumo to onaji sunday
Arikitari no sunday
Demo tokubetsu na sunday


A tradução em inglês, que está no site:

The Babystars - SUNDAY (tradução em inglês)

Even those worn-out words, i love you, take on a wonderful new meaning
When i use them to express my love for you; theyre words for you only
In a sunny spot on sunday, its an ordinary sunday like any other
I quietly pray that this lasts forever and you keep chatting

What do you like so much about me thats a hard question youve just asked
So for now ill stop watching the movie weve rented and just gaze at you

I love your fully blooming smile, even seeing it every day isnt enough
And thats without even mentioning that amazing body that looks good no matter what you wear

And thats just your looks, what about the important things inside you
You dont back down when youre pissed off and even snorting really annoys you
But theres so, so, so much more than that
I cant really describe it properly
I dont think you need a reason to fall in love
That parts a mystery to me, so please forgive me

Even those worn-out words, i love you, take on a wonderful new meaning
When i use them to express my love for you; theyre words for you only
In a sunny spot on sunday, its an ordinary sunday like any other
The more of this ordinary time that passes, the more comfortable we feel together

You pretend to be strong, so the fleeting tears you show occasionally are a white flag
When we dont say anything, its exactly that that keeps me from looking away

Sadness and pain
Of course life brings all kinds of things like that
But just your casual hang in there gives me strength
Whenever your little back trembles i hold you right away
Even if the scenery we can see from the window changes
Be by my side, terrible sleeping habits and all

Even those worn-out words, i hate you, mean the opposite to me
If its you saying them when youre sulking, theyre words for me only
In a sunny spot on sunday, its an ordinary sunday like any other
Ill say it one more time: i love you, all the time

Its a sunday like any other
Its an ordinary sunday
But its a special sunday


E agora a minha versão, que traduzi em cima da versão em inglês. Por isso mesmo, deve estar errada e tal, então se alguma boa alma cair aqui, deixe um comentário dizendo onde deve ser mudado, valeu?

The Babystars - SUNDAY (DOMINGO)

Mesmo essas palavras gastas, “Eu te amo”, têm um novo significado maravilhoso
Quando eu as uso para expressar meu amor por você; elas são palavras somente para você
Em um canto ensolarado no domingo, é um domingo comum como qualquer outro.
Eu silenciosamente rezo para que isso dure pra sempre e que você continue papeando.

“O que você gosta tanto assim em mim?” É a pergunta difícil que você acabou de perguntar.
Então, agora vou parar de assistir o filme que alugamos e vou só ficar te olhando.

Eu amo seu sorriso aberto, mesmo vendo ele todos os dias não é suficiente
E isso sem nem mencionar o seu maravilhoso corpo, que fica bem não importa o que você vista.

E isso é só a sua aparência, e quanto às coisas importantes dentro de você.
Você não recua quando está brava e até roncar te aborrece.
Mas tem tanta, tanta, tanta coisa a mais do que isso.
Eu não consigo descrever tudo apropriadamente.
Eu não acho que você precise de uma razão para se apaixonar.
Isso é meio misterioso pra mim, por isso, me perdoe.

Mesmo essas palavras gastas, “Eu te amo”, têm um novo significado maravilhoso
Quando eu as uso para expressar meu amor por você; elas são palavras somente para você
Em um canto ensolarado no domingo, é um domingo comum como qualquer outro
Quanto mais esse tempo comum passa, mais confortáveis nos sentimos juntos.

Você finge ser forte, então as lágrimas fugazes, que você de vez em quando mostra, são uma bandeira branca.
Quando não dizemos nada, é exatamente isso que me faz não olhar pra longe.

Tristeza e dor
Claro que a vida traz todo tipo de coisas, como essas.
Mas quando você casualmente me apóia: “Esforce-se”” me dá forças.
Sempre que suas costas tremerem eu logo te segurarei.
Mesmo que o cenário que vemos da janela mude,
Esteja ao meu lado, com hábitos de sono terríveis e tudo.

Mesmo essas palavras gastas, “Eu te odeio”, significam o contrário para mim,
Se é você a dizê-las quando está brava, são palavras somente para mim.
Em um canto ensolarado no domingo, é um domingo comum como qualquer outro.
Eu vou dizer mais uma vez: “Eu te amo, todo o tempo”.

É um domingo como qualquer outro.
É um domingo comum.
Mas é um domingo especial.


/***********************************************

Eu sei que só lendo a letra, é meio meloso e tal (fora que essa tradução não ficou boa), mas eu não sei porque, amo essa música. Ela me traz um misto de nostalgia, saudade de algo que passou ou do que poderia ter sido. Pra ter uma idéia do que é isso, as vezes eu choro escutando a música enquanto leio a letra. Deve ser coisa de vidas passadas, quem sabe...

P.S. Em português, um ótimo site pra ver letras de músicas de animes é o Animeblade, na seção lyrics. No Terra também tem várias letras de músicas japas.

2008-01-16

Notícias do dia

Lendo notícias do dia, algumas interessantes, resolvi postar. Como acho que nenhuma valia um post inteiro (não estou com tanta paciência de ficar pesquisando mais a fundo agora), vai uma coleção de notícias de hoje:

/*************************************************

O que não é a criatividade do brasileiro... Numa favela de Recife, um microempresário (esse tem alma de empreendedor) do ramo de beleza, ou seja, o cara tem um salão de beleza, decidiu inovar: em vez de oferecer as velhas revistas de sempre para os clientes em espera, começou a oferecer acesso a Internet.

(Inclusão digital)

O que começou como como uma experiência tímida, hoje já evoluiu para praticamente uma Lan House. Ou, pra cunhar um termo mais "chique", um Cyber Beauty Parlor, analogamente aos Cyber Cafés, hoje comuns. Leia a matéria completa na folha online: PCs dividem espaço com salão de beleza em Recife.

/**************************************************

Olhem essa outra notícia, também na folha online: Macaca nos EUA faz robô andar no Japão usando força do pensamento..

Através de sensores e um monte de parafernália colocada na pobre macaquinha, os cientistas/engenheiros captaram padrões cerebrais da macaquinha andando. Esses padrões cerebrais foram traduzidos em comandos entendidos pelo robô, e foram transmitidos via uma rede super rápida, para o robô do outro lado do mundo.

Na minha opinião, a maior notícia não é o envio dos comandos para o robô, cruzando meio globo terrestre, mas a melhora em termos da captação/interpretação das ondas neurais, e a sua integração com as máquinas.

Num futuro próximo, quem sabe a gente não tem uns robozões estilo Evangelion, com taxas de sincronização e o escambau?

(Tenho falado tão pouco sobre animes/mangás... Tb, tenho tido pouco tempo para esses meus prazeres tb XD)

Exoesqueletos (trajes que ampliam por meio de máquinas o corpo humano) a gente já tem: Japoneses testam "traje-robô" para ajudar idosos e inválidos (reparem que essa já é uma notícia velha, de 2003). Alguém lembrou dos blindados de combate de Matrix Revolutions, ou do fundo do baú, dos trajes de robôs-empilhadeira, em Aliens, com a Sigourney Weaver?

(Foto retirada de http://www.bocadoinferno.com/romepeige/artigos/alien2.html - Aliens - O resgate)

/**************************************************

Da Itália, um tribunal supremo de lá julgou que gravar vídeos de sexo com o seu parceiro(a), mesmo que ele(a) não saiba, não é ilegal.

Parte da história: "A mulher concordou em usar uma câmera de vídeo para projetar as imagens ao vivo deles fazendo sexo, na parede do quarto, mas não sabia que o homem estava gravando a ação. O corte inocentou o homem porque ele não distribuiu o filme para outras pessoas. Quando o relacionamento entre os dois acabou, o homem deu os vídeos para sua ex-parceira, acompanhado de uma nota: 'Estes são meus últimos pensamentos por você'".

Fonte e link (em inglês): Reuters - "Oh, I'm not actually recording, honey..."

/**************************************************

E também via Reuters - Computer can help your dog communicate.

Diretamente da Hungria, cientistas trabalham em um software para analisar os latidos de cachorros, para indicar a emoção (básica) pelo qual o cãozinho está passando.

Tudo bem que essa pesquisa possa até ter seus méritos científicos (ou não, dependendo de como será feito), mas qualquer dono (decente, não uma salsinha) sabe o que o seu cachorro está "dizendo".

(Olha pra minha cara e vê se eu tô gostando do banho.)

UPDATE: Acabou de sair na folha online matéria (vantagem que tá em português): Cientistas criam programa que ajuda a entender cães

/**************************************************

O plantão de notícias termina aqui. Quando volta? Se volta? Só o tempo dirá...

2008-01-15

O segredo do Segredo e outras bobagens

A essa altura do campeonato, acho que qualquer um já deve ter ouvido falar em "O Segredo", o livro/filme/charlatanice (ops), comentado por aí.

Bem, o suposto segredo do livro é o pensamento positivo (uau, que coisa inovadora ¬¬), e como o universo "conspira" pro seu pensamento se tornar realidade. Tudo isso, claro, baseado em "fatos científicos", usando "avançadíssimas" teorias, como a teorica quântica e sei lá mais o quê. (Bleeergh, tô quase vomitando).

Caras pessoinhas, sinto dizer, mas NÃO EXISTE ALMOÇO GRÁTIS. Só pensar, sem fazer nada, não vai adiantar nada. Acreditem, eu já pensei muito em ganhar na mega-sena, mas até hoje continuo pobre.

(No cartaz: Almoço grátis - mais taxa de 29,95 pela entrega e serviço - retirado de http://www.cartoonstock.com/lowres/hsc1632l.jpg)

Pensamento positivo não funciona então? Opa, não foi isso o que eu disse.

Pensamento positivo ajuda na medida em que te impulsionar a alguma ação, ou seja, levantar esse traseiro da cadeira e ir fazer algo. Nesse sentido, o pensamento positivo ajuda. Nesse sentido, pode-se dizer que hajam dados científicos que apoiem o pensamento positivo.

Por exemplo, saiu na folha online uma matéria com o título: Preço alto faz cérebro sentir mais prazer com vinho, mostra estudo

O que isso quer dizer? Que os seus pensamentos, suas expectativas e tudo o mais, influenciam na sua percepção de mundo, ou nas palavras dos autores: "Nosso resultado sugere que o cérebro pode computar a sensação de prazer experimentada de modo muito mais sofisticado, que envolve integrar as reais propriedades sensoriais da substância sendo consumida com as expectativas de quão boa ela deveria ser", escreveram Rangel e seus parceiros.

(O verdadeiro segredo é escrever um livro assim e ganhar rios de dinheiro...)

Entendeu o pensamento positivo? O pensamento NÃO muda o universo, MUDA VOCÊ, COMO VOCÊ encara as coisas.

Porque sinceramente, alguém achar que vai mudar as probabilidades de uma partícula só com o pensamento... Se isso já é absurdo, imagine quantas partículas fundamentais você não deveria mudar pra conseguir um carro novo.


A Super Interessante fez uma matéria sobre pensamento positivo há uns tempos atrás. Eles são mais educados, e não dizem como eu, que esse 'O Segredo' é de uma tosquice imensa. Mas derrubam essa alcunha 'científica' do segredo.

Origens do Papai Noel, ou Na vida profissional, quem quer presente acredita em Papai Noel. Quem quer um futuro acredita em si mesmo - by Max Gehringer

E aí vai mais uma transcrição dos comentários do Mr. Max para a CBN, disponível via podcast, do dia 24/12/2007.

Essa eu nem ia postar, mas como outro dia surgiu uma discussão aqui sobre a origem do Mr. Noel, e também porque estou sem assunto, aí vai o texto (os links fui eu que adicionei):

Na vida profissional, quem quer presente acredita em Papai Noel. Quem quer um futuro acredita em si mesmo.

Papai Noel existe? Pergunta a ouvinte Helena.

Sim, Helena. E é turco. São Nicolau foi um bispo católico que passou por este mundo, há quase 1700 anos. O local onde ele viveu, e presumivelmente nasceu, a cidade de Mira, ficava na Grécia, e hoje faz parte do território da Turquia. São Nicolau costumava dar presentes para famílias e crianças necessitadas, e ficou conhecido por essa generosidade.

Mas, o Papai Noel que hoje em dia nós vemos nos anúncios natalinos, não tem o rosto de São Nicolau. Ele tem a cara do desenhista Haddom Sundblom. Em 1931, Sundblom foi contratado pela Coca-cola para criar uma propaganda com o bom velhinho, e se inspirou olhando no próprio espelho. Além disso, Sundblom coloriu a roupa do Papai Noel com a cor da Coca-cola, o vermelho. Até então, a figura que presenteava crianças no Natal tinha muitas caras e muitas cores. Se a Pepsi-cola tivesse tido a idéia, hoje o Papai Noel se vestiria de azul.

(Nascido para o merchan)

Já o nome 'Papai Noel' nós importamos diretamente da França, no começo do século XX. Em francês, 'Noel' é Natal, e o Père Noel, o Pai Natal de lá, virou o Papai Noel daqui. Naqueles tempos, o Brasil tinha a mania de importar termos franceses, como hoje tem a mania de importar termos dos Estados Unidos.

Portanto, Helena, Papai Noel existe, mas é uma salada de globalização. Origem cristã, nome francês e marketing americano. Por isso, dependendo de cada um, a figura do Papai Noel tanto pode lembrar o generoso São Nicolau, ou ser um vendedor de eletrodomésticos e celulares.

Mas a expressão 'Fulano ainda acredita em Papai Noel' tem tudo a ver com o mundo corporativo. Empresas não primam pela generosidade na hora de conceder aumentos ou promoções. Na vida profissional, quem quer um presente acredita em Papai Noel. Quem quer um futuro, acredita em si mesmo.

Max Gehringer, para CBN.

2008-01-14

Vá com calma ao se avaliar um executivo muito bem-sucedido

E aí vai mais uma transcrição dos comentários do Mr. Max para a CBN, disponível via podcast, do dia 04/01/2008:

Clássicos do Mundo Corporativo: Vá com calma ao se avaliar um executivo muito bem-sucedido

Então, o executivo extremamente bem sucedido teve um piripaque. Desmaiou em cima de sua escrivaninha de mogno e quando acordou, descobriu que estava no céu. Aí, ao ver aquele povo todo, de camisolão branco, circulando de nuvem em nuvem, o executivo extremamente bem sucedido teve, é claro, um breve instante de pânico.

Mas logo se recompôs, e começou a imaginar como poderia tirar proveito daquela situação. E como não era de ficar perdendo tempo com intermediários, foi conversar diretamente com São Pedro. E já chegou com aquela cara de executivo extremamente bem sucedido, e disse:

"Pedro, meu caro, prazer. Tudo bem? Belas sandálias. Olha, eu estou aqui no paraíso só faz dois dias, mas já consegui prospectar o modus operandi e queria lhe fazer algumas propostas para melhorarmos a produtividade geral. Por exemplo, repensar a estratégia de curto prazo, criar um sistema de descrição de cargos, estabelecer metas e objetivos, fazer uma reengenharia celestial, quebrar uns paradigmas e implementar programas motivacionais, do tipo: 'o céu é seu'."

São Pedro arregalou o olho, balançou a chave e disse: "Meu filho, estou realmente impressionado". Aí, o executivo extremamente bem sucedido sentiu que, no mínimo, já estava promovido a vice-presidente do paraíso, e perguntou: "Isso significa que o nobre colega concorda com a minha proposta?"

"Não", respondeu São Pedro. "Isso significa que você vai ter muito futuro em nosso concorrente. Porque você acaba de descrever EXATAMENTE como funciona o inferno."

Max Gehringer, para CBN

/************************************************

Huahuahuahua. Eu adoro essas histórias do Max Gehringer.

E essas sugestões do executivo extremamente bem sucedido, muito infeliz segue por aí, quase ao pé da letra como foi descrito. Tem um povo que acha que é quase uma bíblia.

Fora essa linguagem que usam, quase um "dialeto", feito só pra tentar impressionar um outro mais incauto...

Mas comigo isso não funciona. Eu sempre digo: pra mim, engravatado de fala bonita, tem que PROVAR que não quer só impressionar.

2008-01-13

Comemoração com os Simpsons

Adivinhem só, este é o 200º post deste pequeno e infeliz blog.

(Gerador de mensagens do Bart aqui no link.)

Mas não vou fazer um post só pra comemorar que é o post 200! Vamos falar dos Simpsons!!!

Eu sou fã dos Simpsons. No final dos episódios, sempre aparecem os nomes dos dubladores (em inglês), mas eu não sabia quem dublava quem. Até eu ver o Simpsons Movie. Além disso, vi que um mesmo dublador dubla uns trocentos personagens.

Se você ainda não viu o filme e está esperando pelo DVD, ou saiu cedo do cinema, aqui vão os personagens dos Simpsons (e de brinde, a cara dos dubladores):

(D´oh)

(Hummmmm)

(Eat my shorts!)

(A Lisa tem um bordão?)





















/********************************************************

Esse povo todo tá no elenco do filme, mas geralmente nos episódios, é a trupe abaixo:

Blog Widget by LinkWithin